Notícias  
  História  
  Galeria  
  Locais de Interesse  
  Informações  
  Localização  
  Livro de Visitas  
  Orgãos autárquicos  
 

Informação autárquica

 
  Obras  
  Regulamentos  
  Heráldica  
  Contactos  
 
 
     
 
Freguesia do concelho de Arouca, distrito de Aveiro, Várzea esta situada num fértil vale, junto à veiga do rio Arda, o que justifica o seu topónimo; dista da sede concelho cerca de sete quilómetros. O seu orago é o Divino Salvador.

O povoamento do território que corresponde à actual freguesia de Várzea é bastante remoto, ascendendo a épocas pré-romanas e a comprovar este facto estão os vestígios de povoações castrejas encontrados na freguesia. Um dos mais importantes achados é sem dúvida o casal rústico da Malafaia, descoberto em 1987 e que se caracteriza então pela presença de blocos de pedra e telha tipo romano. Após investigações mais profundas, chegou-se à conclusão que se trata de um casal agrícola, ocupado entre os finais do império romano até ao período Visigótico, ou mesmo até ao período da dominação árabe (Vll - Vlll). Também a toponímia revela a sua antiguidade em topónimos como “Moradal” ou “Muradal” correspondente a um remoto derivado de "muro" que outra coisa não deve significar senão defesa castreja, em algum vizinho.

      

Um dos documentos mais antigos relativos a esta freguesia mostra que aqui era possuidora de haveres a estirpe de João Gosendes, pois que um irmão deste, de nome Nuno Gosendes, vendeu, em 1101, a D. Toga de Viegas os bens, próprios que aqui possuía pela parte da mãe, D. Aragunta Mendes,
Relativamente à igreja do Divino Salvador há provas documentais da existência já no século X; de facto, em 1805, o filho de um Egica, numa doação ao Mosteiro de Arouca de haveres de seu pai e de seu bisavô, diz que havia doado certos bens à dita Igreja. Segundo o Censual do Cabido lamacense, datado da Iamacense, datado da primeira metade do século XVI, a igreja de Várzea era da apresentação do Mosteiro de, Arouca; nos finais do século XVIII, D. Joaquim, Azevedo dizia sobre esta freguesia que "chama-se também Salvador do Brugo e era uma comenda da Ordem de Cristo.

Do património cultural e edificado desta freguesia são de destacar: a capela de S. Pedro, a igreja paroquial, e a Casa da vinha do Souto de Baixo. Este último edifício pertenceu a Luciana d' AImeida Brandão, falecida em 1874, tendo passado depois para o seu herdeiro e sobrinho António Tomás Abreu Freire. Trata-se de uma extensa propriedade e vizinha de outra propriedade distinta, a Casa da Vinha de Souto de Cima que pertenceu a Bento Leite.

A freguesia de Várzea é essencialmente rural, tendo na agricultura a base da economia local e a principal fonte de rendimento

       

Nesta freguesia nasceu, a 15 de Outubro de 1767, D. Leonardo Brandão, último bispo de Pinhel. Deu entrada muito jovem na Congregação do Oratório e veio a professar na casa de Nossa Senhora da Assunção, em Braga, entregando-se depois ao serviço das missões. Em 1824 recusou a dignidade de bispo do Ultramar, para a qual havia sido eleito e oito anos mais tarde foi eleito Bispo de Pinhel, tendo recebido a confirmação em 17 de Dezembro de 1832 e a sagração em 10 de Fevereiro do ano seguinte. Cinco meses após a sua posse, viu-se obrigado a fugir para escapar à perseguição dos partidários de D. Pedro lV, vagueando entre os concelhos de Arouca, Vale de Cambra e Vila Nova de Paiva. Recolheu-se, mais tarde, na casa de um irmão em Várzea, onde viria a falecer.